Valletta, capital de Malta

Valletta é uma cidade fascinante onde pode passar dois dias fantásticos rodeado de história, arquitetura barroca lindíssima, fortalezas antigas, catedrais magníficas e alguns museus bastante interessantes. De facto, Valletta é uma das cidades históricas do mundo com atrações mais concentradas, com mais de 300 monumentos numa área extremamente pequena, com fortalezas e muralhas defensivas em seu redor. Não admira que Valletta seja frequentemente chamada de museu ao ar livre.

Valletta

Valletta é uma cidade tão importante que, ao longo dos tempos, foi-lhe dado títulos como A Cidade Fortaleza, Umilissima Civitas Valletta (A Muito Humilde Cidade de Valletta), “uma cidade construída por cavalheiros para cavalheiros”, Obra-Prima do Barroco, Cidade da Arte Europeia e, finalmente, em 1980, foi considerada um dos locais Património Mundial de Malta pela UNESCO.

Localização de Valletta, Malta

Desde o reconhecimento de Valletta por parte da UNESCO, a cidade desabrochou em termos de conservação de edifícios e património, apresentando-se hoje como um destino de viagem único e magnífico no Mediterrâneo. Uma visita à capital Valletta é uma viagem ao passado, viajando-se no tempo até à altura em que os Cavaleiros Cruzados de Malta ainda protegiam a cidade.

História de Valletta – como tudo começou

A História de Valletta está obviamente intimamente relacionada com a História de Malta. Quando os Cavaleiros de S. João de Jerusalém chegaram a Malta em 1530, estabeleceram-se em Birgu (mais tarde Vittoriosa), uma das Três Cidades de Malta (Three Cities of Malta). Birgu estava protegida pela pequena torre de vigia de S. Elmo, que ficava no Monte Sceberras, tendo mais tarde sido convertida no forte S. Elmo (Fort St Elmo). A posição estratética deste forte veio demonstrar a sua importância na derrota de Suleimão, no Grande Cerco de 1565 (Great Siege of 1565) e os Cavaleiros aperceberam-se que este era o ponto defensivo capaz de manter a Ordem segura na ilha de Malta.

Muralhas defensivas de Valletta

Com a grande vitória sobre os Muçulmanos, os Cavaleiros viriam a conseguir ajuda financeira essencial do agradecido Papa Pio V e de Filipe II de Espanha para construir a cidade de Valletta, cujo nome foi atribuído em honra do Grande Mestre La Valette, o herói do Grande Cerco. O génio por detrás do desenho da cidade de Valletta foi Francesco Laparelli, um engenheiro militar, mais tarde substituído pelo assistente Gerolamo Cassar.

Laparelli pôde criar a cidade fortaleza perfeita, começando do zero na rocha árida da península do Monte Sceberras, com vista sobre os dois portos profundos de Marsamxett e do Grand Harbour. Quando visitar Valletta, não a vai considerar uma cidade moderna mas este foi um dos primeiros exemplos de planeamento urbanístico baseado num padrão em grelha de ruas.

Estas são algumas das importantes características e avanços no planeamento e construção de Valletta com a defesa estratégica em mente

  • Desenhada numa grelha quase uniforme, as ruas de Valletta inclinam-se abruptamente para baixo à medida que nos aproximamos da extremidade da península, oferecendo a melhor posição aos defensores.
  • A mesma grelha deixava o ar fresco vindo dos dois portos circular facilmente pelas ruas estreitas, arrefecendo a cidade.
  • Foram construídos bastiões fortes e fossos profundos.
  • As escadas em algumas ruas de Valletta são suficientemente grandes para permitir que cavaleiros com pesadas armaduras subissem os degraus.
  • Inovações como esgotos com água fresca e para saneamento básico foram fornecidas aos cavaleiros, aos seus criados e a comerciantes de Valletta.

A construção de Valletta começou em 1566 e durou apenas 15 anos! Este foi o tempo necessário para contruir a cidade, os seus bastiões, fortes e catedral. Isto é ainda mais impressionante considerando que o rochoso Monte Sceberras não se localizava numa posição fácil e que foi preciso fazer bastante terraplanagem.

Mapa de Valletta, Malta

O Grande Mestre La Valette morreu em 1568, antes da cidade estar acabada. Em 1571, era já possível que Valletta recebesse os seus primeiros habitantes, pelo que os Cavaleiros se transferiram de Birgu para a sua nova capital. A maioria dos grandes edifícios já estava construída, tais como a Catedral de S. João (Cathedral of St John), a Sacra Infermeria, os Albergues ou Estalagens de Residência dos Cavaleiros e o Palácio do Grão-Mestre (Magisterial Palace).

Quando começou o século XVI, Valletta já tinha dimensão de cidade e o povo Maltês começou a mudar-se para dentro da segurança das suas muralhas, vindos de toda a ilha de Malta. A Ordem dos Cavaleiros de S. João mudou todas as suas estruturas para a nova capital de Malta mas as Três Cidades (Three Cities) mantiveram a importância económica por causa das suas docas. Mdina, a medieval antiga capital de Malta, estagnou mas a nobreza Maltesa, descendente dos senhores feudais Sicilianos e Espanhóis, não se mudou para Valletta.

Alguns séculos mais tarde, a História de Valletta cruzou-se com a da Segunda Guerra Mundial, ao sofrer fortes bombardeamentos. Mas a capital de Malta parcialmente destruída sobreviveu, assim como a obra-prima dos Cavaleiros, a Catedral de S. João. Nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial, os habitantes de Valletta mudaram-se para casas mais modernas de outras vilas ou cidades, deixando a capital com apenas 9.000 habitantes. Recentemente, o oposto tem vindo a acontecer, com os Malteses a regressar a Valletta, orgulhosos da arquitetura da sua capital.

Valletta hoje – paraíso do turista

Valletta é a mais pequena capital da União Europeia e o maior centro financeiro e comercial de Malta. Tendo uma das mais concentradas áreas históricas do mundo, torna-se um atraente destino para turistas que querem andar para trás no tempo dentro das muralhas de Valletta, visitando e fotografando ruas, igrejas, palácios, estátuas, nichos, fontes, jardins, brasões e outros trabalhos artísticos.

Ruas de Valletta

Nas ruas principais de Valletta vai encontrar as melhores lojas para fazer compras em Malta em marcas internacionais de moda, música, joalharia, etc. Nas ruas estreitas laterais entre nas lojas de produtos locais ou prove a deliciosa comida e bebida de Malta em pequenos e pitorescos cafés ou restaurantes. O Grande Porto de Malta (Grand Harbour) é de visita obrigatória também. À noite, as ruas ficam mais calmas e silenciosas. Dê um passeio à meia-luz e descubra outra Valletta, talvez ainda mais bonita.

Antes de planear viajar e entrar num avião para Malta, consulte o calendário de festivais e eventos para ver se tem a sorte de presenciar alguns dos muitos eventos culturais que têm lugar em Valletta, desde os mais populares até a organizações aclamadas a nível internacional.

Melhores vistas e Monumentos em Valletta

  • Portão da Cidade (Valletta City Gate)
  • Monumento do sino do Cerco (Siege Bell Monument)
  • Catedral de S. João (St John’s Co-Cathedral)
  • Muralhas de Valletta (Valletta’s City Ramparts)
  • Albergue de Castille (Auberge de Castille)
  • Catedral Anglicana (Anglican Cathedral)
  • Igreja de Nossa Senhora do Monte Carmelo (Our Lady of Mount Carmel Church)
  • Il-Mandragg
  • Palácio do Grão-Mestre e o Arsenal (Grand Master’s palace and the Armory)
  • Igreja do Naufrágio de S. Paulo (St Paul’s Shipwreck Church)
  • Forte de S. Elmo (Fort St Elmo)
  • Salas de Guerra de Lascaris (Lascaris War Rooms)
  • Jardins de Hastings (Hastings Gardens)
  • Jardins de Barrakka (Upper Barrakka Gardens)
  • Teatro de Manoel (Manoel Theatre)

Museus em Valletta

  • Museu da Guerra (War Museum)
  • Museu Nacional de Arqueologia (National Museum of Archeology)
  • Museu Nacional de Arte (National Museum of Fine Arts)